Sumulador x Real

simulador kart 1

Você gosta de pilotar nos simuladores, tem um volante e cockpit legais, mas fica em dúvida se é realmente igual pilotar na pista? Hoje preparamos um material muito legal para vocês.

O mercado de simuladores vem crescendo significativamente nos últimos anos. Novos simuladores, cada vez mais realistas, estão disponíveis no mercado a preços acessíveis, volante mais modernos, com muita tecnologia para simular ao máximo as reações e sensações sentidas na pista.

Temos inclusive um Campeonato de Kart Virtual, organizado pela Grid Kart Brasil. Conheça mais deste campeonato clicando aqui.

Um dos destaques do mercado de simuladores é o Automobilista, desenvolvido pela Reiza Studios, que conta com as principais pistas brasileiras e algumas das mais lendária do mundo.

Umas das categorias presentes neste simulador é o kart, tendo a opção de correr desde com kart rental até com um Shifter.

Originalmente estão disponíveis 6 kartódromos brasileiros, mas você pode comprar pacotes de expansão para ter mais opções de pistas.

Com todas essas opções, preparamos um comparativo com a opção mais acessível e que você leitor do Papo de Box também pode experimentar. Andamos com o kart rental do simulador no Kartódromo de Interlagos e o mesmo kart e traçado na pista real.

O resultado você confere aqui:

Como observado no vídeo, o simulador é sim uma excelente experiência para aprender a pista e aprimorar sua pilotagem, uma vez que as referências na pista são muito parecidas, mas temos que levar em conta algumas considerações.

O tempo de volta no simulador é, em média, menor do que os tempos obtidos na pista. Observamos que a velocidade máxima atingida no simulador é maior que a velocidade real, ocorre menor variação no comportamento do kart, ou seja, você está o tempo todo pilotando nas melhores condições do equipamento. O que está por trás é um algorítmo que, por melhor que seja desenvolvido, possui limitações.

Na pista real, condições externas interferem mais no comportamento do kart. A torção do chassi pode mudar muito da aderência nas curvas, a temperatura e até mesmo a qualidade do combustível vão influenciar na potência no motor.

Outro ponto de observação são algumas diferenças na ondulação da pista, o que também interfere na aderência do kart em curvas, acelerações e frenagens, o que não observamos no simulador.

Mas tudo isso não tira o mérito do excelente trabalho realizado com este simulador que pode sim melhorar sua pilotagem e proporcionar melhores resultados na pista.

No início de 2016 comecei a participar do campeonato ASSEKA de kart amador. A primeira etapa da competição naquele ano foi realizada no Kartódromo de Interlagos, pista que eu nunca havia andado até então.

Como residia em outro estado, distante de São Paulo, minha primeira corrida já seria válida pelo campeonato. Treinei durante a semana que antecedeu à corrida no simulador e, quando cheguei na pista, já conhecia as principais referências de freada, tangência de curva e aceleração.

O resultado: um 3º lugar na primeira corrida naquela pista.

Curta a página do Papo de Box no Facebook e acompanhe os destaques do automobilismo mundial.

  • Alex Campo

    sensacional o post mr Ray!

    também percebo que cada vez mais pilotos estão usando simuladores para aprender traçado, definir estratégia de paradas e pontos de ultrapassagens

    é claro que como foi dito existe uma quantidade grande de variáveis que pode influenciar nos tempos e sensibilidade mas que de fato contribui é inegável!

    hoje faço minha estreia na Grid Kart e posto o resultado aqui!!!