Ultrapassagem: O segredo é pensar à frente

Ultrapassagem

As manobras de ultrapassagem são parte corriqueira de uma boa corrida.

Boa parte da obtenção de bons resultados depende de saber realizar esse tipo de manobra da maneira correta e no momento correto.

Neste artigo vou mostrar um pouco da técnica e da dinâmica por trás de uma manobra como essa analisando 4 situações deferentes, mas uma regra é única: sempre pense em qual será a situação após a ultrapassagem, qual a próxima curva.

Essa regra vai te ajudar não só a planejar melhor a ultrapassagem, como também a defender-se de uma ultrapassagem.

Inscreva-se para o treinamento on line Fundamentos do Kart, com Cristian Peticov.

Curvas de 90°

Curvas desse tipo, principalmente de raio mais fechado, possibilitam boas ultrapassagens, pois para fazermos a curva com uma boa velocidade, tendemos a abrir bastante a entrada dessa curva, deixando um espaço bem grande para que o adversário coloque o kart por dentro e realize a manobra.

Ataque: Antecipe o ponto de tangência da curva, o ápice, colocando o kart mais para dentro na entrada da curva.

Tome os seguintes cuidados na saída da curva:

– se a próxima curva é para o mesmo lado que a curva que está fazendo, planeje uma saída de curva também mais fechada, para não deixar o espaço para o “X”;

– se a próxima curva é para o lado oposto, pode realizar uma saída mais aberta, e assim não deixe espaço para o adversário atacar na próxima curva.

Defesa: Antecipe o ataque adversário e não abra muito a entrada da curva.

Pense na seguinte situação:

– se a próxima curva é para o mesmo lado que a curva que está fazendo, planeje uma saída de curva também mais fechada, para não deixar o espaço para o ataque na segunda curva;

– se a próxima curva é para o lado oposto, pode realizar uma saída mais aberta, e assim não deixe espaço para o adversário atacar na próxima curva.

Curvas de 180°

Ultrapassar em curvas desse tipo pode ser mais difícil, pois em geral a entrada de curva é realizada mais fechada, então o adversário à sua frente normalmente não deixa muito espaço.

Ataque: Em uma trajetória normal, faríamos esse tipo de curva com o ponto de tangência do meio para o final da cuva.

Transforme essa trajetória em uma curva com duas tangências, ou dois ápices, isso porque ao antecipar o ponto de tangência da curva, colocando o kart mais para dentro na entrada da curva, vai fazer com que você fique mais por fora da curva na segunda metade dela, possibilitando o “X” do adversário.

Neste ponto, segure o kart e continue a curva fazendo uma segunda tangência pouco após o meio da curva.

Aqui você deve estar pensando “é fácil falar, mas como fazer isso?”.

A única forma é reduzir um pouco mais a velocidade. Nessa manobra, o “trail braking” vai te ajudar muito na manobra, pois para melhor efetividade dessa manobra, a freada durante a curva será muito necessária.

Lembrando, pense sempre na próxima curva.

Defesa: Antecipe o ataque adversário e não abra muito a entrada da curva.

Pense na curva seguinte para definir a estratégia da saída de curva.

Se a ultrapassagem na entrada de curva for eminente, mude a estratégia, e prepare para dar o “X”, sem esquecer da próxima curva.

Se o ataque do adversário não for completo, novamente, defenda-se pensando na próxima curva.

No vídeo acima, a primeira ultrapassagem realizada foi mau executada, visto que na saída da curva deixei um espaço que permitiu ao adversário realizar o “X”.

O mesmo também executou uma excelente manobra de defesa, pois quando percebeu o ataque, preparou melhor a saída de curva e recuperou a ultrapassagem.

Na segunda vez que realizei a manobra, fiz com mais cuidado, deixando menos espaço na saída de curva e mantendo uma linha defensiva para a próxima curva.

Raio Crescente

Esse tipo de curva é definida um uma primeira parte mais fechada, seguida por um crescimento no raio, tornando a saída mais suave.

Como a saída é aberta, a trajetória fechada na entrada faz a defesa da ultrapassagem ser mais fácil.

Ataque: Planeje melhor a saída.

Faça uma entrada bem aberta, deixando o ápice da curva entre o meio e a saída da curva. Com o crescimento do raio, mantenha o kart mais para a parte interna, o que vai possibilitá-lo de realizar uma trajetória menor.

Defesa: Semelhante ao que se realiza no ataque, mantenha uma saída de curva mais fechada.

Dificilmente a ultrapassagem será realizada na entrada da curva, então você pode manter uma entrada aberta, mas sem exagero, pois sempre é possível o ataque na entrada da curva.

Raio Decrescente

Esse tipo de curva é definida um uma primeira parte mais aberta, seguida por um decrescimento no raio, tornando a saída mais fechada.

Como a saída é fechada, a trajetória aberta na entrada faz a possibilidade de ultrapassagem ser maior.

Ataque: Realize um entrada da curva mais fechada para que se mantenha por dentro na segunda metade da curva.

Para que a manobra dê certo é necessário entrar na curva ainda com alguma velocidade, e realizar a freada já com a curva iniciada, o “trail braking”.

Defesa: Proteja a entrada da curva, mantendo uma trajetória mais fechada, também realizando um “trail breaking”.

Realize uma saída com tranquilidade, pois o “X” nesse caso é muito difícil, devido a segunda parte da curva ser mais apertada.

Não deixe de curtir nossa página no Facebook.

Referências:
– http://www.formula1-dictionary.net/cornering_tech.html
– http://www.ayrtonsenna.com.br/en/piloto/arte-de-pilotar/as-ultrapassagens/
– http://www.kartblog.info/2011/03/inhaaltechnieken-breed-in-snel-uit/
– https://sites.google.com/site/tamemechazineiiet/home/more/cornering-technique

  • Mono

    que material fantastico!!!!!! parabens

    • Valeu Mono….acho que tá valendo os milhões que tenho pago mensalmente ao Raymundo, certo?